Ivan Duque pede aos indígenas que abandonem o protesto em Cali e retornem aos seus territórios

Na tarde deste domingo, 9 de maio, registou-se um ataque armado contra um grupo de indígenas que se deslocavam na estrada para Jamundí, no Vale do Cauca, no sudoeste do país.

AA – Este domingo, 9 de maio, houve fortes atos de violência na cidade de Cali, no sudoeste da Colômbia, nos quais mais de nove pessoas indígenas ficaram feridas.

O presidente colombiano, Iván Duque, disse que “Quero fazer um apelo aos integrantes do Cric (Conselho Regional Indígena do Cauca): Vimos que os cidadãos sofreram muito com os bloqueios e têm medo que haja mais bloqueios e sentem a sua segurança ameaçada. Para evitar confrontos desnecessários, quero apelar aos membros do Cric para que regressem às vossas reservas”.

O chefe de estado acrescentou que “precisamos que a cidade de Cali comece a caminhar para a normalidade”.

Por sua vez, o Conselho Indígena Regional do Cauca escreveu na sua conta de Twitter que “há alguns momentos o Minga foi atacado na cidade de Cali, no Vale do Cauca. Pessoas armadas vão tentar impedir a entrada de comunidades indígenas para se juntarem ao protesto”.

Perante esta situação, o Cric pediu às organizações de direitos humanos que exijam ao governo de Duque que pare “a militarização das forças policiais e a criminalização do protesto”.

Neste contexto, o presidente garantiu que já se encontra na cidade uma comissão do seu Governo para tentar resolver os problemas de segurança e acrescentou que “tomei a decisão, por prudência, de não estar presente em Cali para não causar mais distrações sobre o trabalho da força pública “.

Cali é a cidade da Colômbia mais afetada pela violência que eclodiu durante a greve nacional iniciada a 28 de abril.

Milhares de pessoas saíram às ruas em diferentes cidades do país para apoiarem a greve nacional, convocada por sindicatos, movimentos sociais e indígenas, contra o projeto de reforma tributária posteriormente retirado por Duque.

Organizações como a ONG Tremors indicaram que durante os dias de protestos registaram-se 39 homicídios, 278 atos de violência física e 12 atos de violência sexual, cometidos por elementos das forças de segurança.

Por seu turno, a Polícia indicou que mais de 850 soldados foram feridos durante os protestos.

Perante esta situação, a Organização das Nações Unidas (ONU) pediu ao governo colombiano que garanta “o direito à liberdade de reunião pacífica e de protesto”.

AA

Notícia completa em: https://www.trt.net.tr/portuguese/america-latina/2021/05/10/ivan-duque-pede-aos-indigenas-que-abandonem-o-protesto-em-cali-e-retornem-aos-seus-territorios-1637395

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *