[Pe. Alfredinho] Pai-nosso dos migrantes

Pai nosso!…

E divina mãe de todos os povos, nações, criaturas e seres vivos,

fonte e origem da natureza, e das relações ricas e plurais;

que estás no céu livre e azul dos diversos valores e culturas;

santificado seja o nome com que te invocam todas as línguas,

venha a nós o teu espírito, motor das mudanças sociais,

seja feita a tua vontade de realizar o projeto de amor,

tanto no planeta terra quanto no inteiro universo.

O pão nosso de cada dia, como justo fruto do trabalho, 

concede hoje e sempre a todos teus filhos e filhas; 

ensina-nos a lutar pelos direitos e a dignidade de toda pessoa;

perdoa-nos as ofensas e discórdias, preconceito e hostilidade, 

bem como a discriminação diante de quem bate à porta,

assim como nós assumimos o compromisso de perdoar 

a quem, em meio às sombras, promove o ódio e a vingança.

Vem caminhar conosco pelas estradas do êxodo e da fuga,

pelas veredas tortuosas do deserto, do exílio e da diáspora,

por onde, migrantes e refugiados, marítimos e itinerantes,

carregamos sonhos e luzes para iluminar a incerteza do futuro;

lutamos, como no Egito, contra toda opressão e exploração,

com fé e esperança nutrimos a utopia de um amanhã recriado!…

E não nos deixes cair na tentação do racismo e da intolerância,

nem alimentar a xenofobia para com o diferente e o estrangeiro,

mas livra-nos do mal que, frente ao outro, divide, separa, exclui e mata;

para que possamos substituir os muros e fronteiras

por novas pontes de encontro, diálogo e solidariedade!…

Pois teu é o reinado sobre os novos horizontes da história,

a força que corre em nossas veias e nos reaviva o vigor,

e a glória expressa nos astros e nas flores, no vento e no fogo,

no canto da água e dos pássaros, no olhar dos que amam,

no sorriso das crianças, como promessa de esperança e salvação!…

Amém, axé, awere, aleluia, shalon!…

E que tudo nos venha de tua infinita misericórdia

e retorne a ti e à tua casa na luz e na paz da vida eterna,

pois na qualidade de forasteiros pela face da terra,

todos e todas estamos a caminho de nossa pátria definitiva!

Pe. Alfredo J, Gonçalves, cs, vice-presidente do SPM

São Paulo, 19 de agosto de 2021.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *